Agendamento de Consulta Oftalmológica

12/01/2015 - Óculos de sol: a importância da escolha adequada

Com o sol escaldante que vem assolando nossa região, o uso dos óculos de sol tornou-se uma necessidade. Acessório almejado e amado pelas mulheres, que além de embelezar o rosto, protege os olhos dos raios UV prejudiciais à vista, ele tem suas regras de uso correto. Veja algumas:

Basicamente usamos em lugares onde a luminosidade do sol é intensa, em locais abertos.
Não devemos usar em ambientes fechados; como o próprio nome diz, são óculos de sol, para serem usados em lugares ensolarados, ao ar livre.
Quando for falar com alguém, tire os óculos para que possam ver seus olhos, em sinal de atenção com quem fala. Como já dizia o filósofo Erasmo de Roterdã: “Os olhos são o espelho da alma”, e por este motivo, quando conversamos, devemos olhar bem nos olhos do interlocutor. É sinal de atenção, boa educação e um gesto elegante.
É aconselhado o uso dos óculos escuros nos velórios. Quando choramos, nossos olhos ficam congestionados, vermelhos.

Óculos: como escolher?

Há algum tempo atrás os óculos de grau eram tidos como algo feio, que atrapalhava o look. Hoje, eles são usados para complementar o visual, e algumas pessoas utilizam até mesmo lentes sem grau, só para dar um charme. Os óculos de sol também foram incorporados ao dia a dia e viraram item obrigatório no guarda-roupa. São acessórios que compõem nosso look na maior parte do tempo e, por isso, além de bonitos, devem ser confortáveis.
O esteta ótico Miguel Giannini, profissional reconhecido da área, explica que o mais importante na hora de comprar um par de óculos é escolher um que combine com a sua personalidade.
O profissional defende que os óculos devem refletir aquilo que a pessoa é, seja extrovertida, tímida, fashion, conservadora, etc., e que, para isso, não há regras. No entanto, existem sim alguns itens que precisam ser levados em consideração e analisados calmamente na hora de comprar o acessório. Portanto, não tenha pressa! Veja algumas dicas:
 - O primeiro aspecto é o apoio nasal. “O nariz é o cavalete dos óculos, que vão se apoiar quase inteiramente nessa região. Um bom apoio garante equilíbrio e impede que o acessório deixe marcas”, explica o profissional. O apoio temporal, portanto, é secundário. Deve-se apenas garantir que as hastes estejam bem ajustadas e que não apertem atrás da orelha, para evitar que fiquem protuberantes.
 - As sobrancelhas e o centro da expressão têm de ser respeitados. “Os óculos não podem nem anular as sobrancelhas e nem acompanhar o seu contorno, criando a impressão de uma segunda sobrancelha”, orienta o esteta ótico. Já o centro da expressão, área que fica entre os olhos, onde nasce o nariz, também deve ficar bem solto. Esses cuidados garantem que os óculos não interfiram ou mudem a expressão facial.
 - No caso dos solares, o aro inferior não deve apertar as maçãs do rosto. “Isso pode deixar marcas, além de impedir a boa oxigenação, o que faz com que os óculos embacem”, explica. Ele também indica as armações de plástico acetato, que não acumulam tanto calor como as de metal e evitam alergias.
 - Outro ponto importantíssimo é qualidade das lentes dos óculos solares. Quando nos expomos ao sol, nossas pupilas automaticamente diminuem, evitando a incidência solar. Quando colocamos uma lente escura sobre os olhos, elas voltam a se dilatar, e perdemos nossa proteção natural. Por isso, é crucial usarmos óculos somente com proteção contra raios UV, que evitam a exposição excessiva ao sol. Portanto, não esqueça: óculos sem filtro solar são mais prejudiciais que a falta deles. Isso porque dilatam a pupila e fazem entrar mais radiação nos olhos. Isso aumenta o risco de catarata, maior causa de cegueira tratável, e lesões na retina que ainda não têm tratamento eficaz
 - Opte por lentes resistentes a impactos. Um estudo conduzido na Espanha mostra que o disparo do Airbag eleva o risco de perfuração ocular entre pessoas que trafegam sem óculos e dobram o perigo entre as que usam lentes de cristal. Para proteger os olhos no trânsito a melhor opção são as lentes inquebráveis de policarbonato.
 - Faça o teste do sorriso: com a armação no rosto, sorria e confira se a parte inferior do óculos toca as bochechas. Se isso acontecer, essa não é a peça indicada, porque vai causar desconforto.
 - Os modelos com pontes (parte central do óculos) mais baixas do que a linha superior do óculos são as melhores opções para quem tem o nariz maior, pois parecem diminuí-lo.
 - Quando os óculos têm metal, as mulheres devem considerar também se a cor combina com a dos outros acessórios, como brincos. “A combinação é importante. É preciso bom senso para não misturar.” As lentes espelhadas, devem ser usadas apenas em situações informais, segundo Ventura. Outro fator importante, segundo Giannini, é evitar óculos de camelô, pois não há como saber se eles têm proteção ultravioleta.
 - Nunca deixar seus óculos de sol no painel do seu carro. O intenso calor produzido dentro de um carro fechado pode danificar os revestimentos da lente. Essa é a forma mais comum de danificar seus óculos de sol.
 - Bem como os cuidados de rotina com seus óculos, é também importante manuseá-los corretamente. Pode parecer óbvio, mas nunca deixe seus óculos com as lentes viradas para baixo. Em vez disso, dobre as hastes dos óculos e coloque-as para baixo, deixando as lentes sem o contato com a superfície. Para evitar o incômodo de procurar seus óculos, é aconselhável guardá-los sempre no mesmo local. É importante observar que cadeiras, poltronas e sofás são locais completamente inadequados para deixar os seus óculos, pois alguém pode  se sentar sobre eles por acidente.

Orientações

Para os óculos de sol, Miguel recomenda as lentes degradê ao invés das totalmente escuras. “Além de estarem na moda, elas são mais simpáticas, pois mostram as expressões da pessoa. As lentes muito escuras dão um ar de mafioso para quem usa, parece que está tentando se esconder”, brinca o esteta ótico.
Segundo o especialista, a pessoa que usa óculos de grau deve ter, no mínimo, três exemplares: um com proteção solar, um para o dia-a-dia, mais versátil, e outro para ocasiões formais, mais discreto ou elaborado, dependendo do gosto da pessoa.

Manutenção e limpeza

A região ocular é a parte mais sensível do corpo. Por isso, a boa higienização dos óculos é obrigatória.
Lave os óculos regularmente com água corrente e um sabão neutro ou de coco. A água em movimento é especialmente eficaz para limpar óculos de sol usados na praia, pois ela garante a eliminação dos resíduos de areia que, além de riscarem as lentes, podem contaminar a mucosa.
As lentes antirreflexo dos óculos de grau nunca devem ser lavadas com água quente, pois correm o risco de craquelar. Procure higienizar de forma delicada.
Evite deixar os óculos jogados na bolsa sem nenhuma proteção. Além de correr o risco de entortar a armação e riscar a lente, você pode expor o acessório a bactérias. O ideal é mantê-los em uma caixinha própria e sempre ter uma flanela a mão.
A cada dois ou três meses, faça uma revisão nos seus pares em uma ótica. Lá, eles podem limpar os óculos mais profundamente e ainda ajustar algum desalinho na armação. “A maioria das pessoas não sabe, mas as óticas oferecem esse serviço gratuitamente”, comenta Miguel.

Pirataria e preço baixo: cuidado!

As vendas de óculos de sol estão aumentando em todo o Brasil e não é só em tempo de férias, verão ou Natal. Segundo o diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, Renato Neves, enquanto se procura combater a pirataria, que responde por 40% do mercado ótico, uma parcela da população segue fazendo suas escolhas pelo preço, pondo em risco a saúde dos olhos. “Óculos de sol é, antes de tudo, uma questão de prevenção. As pessoas devem cultivar mais o hábito de não sair de casa antes de passar protetor solar e colocar seus óculos de sol, ainda que o dia esteja meio chuvoso. Só não adianta economizar muito, porque os modelos que não contam com proteção contra os raios ultravioleta podem ser até mais prejudiciais à visão do que sair de casa sem óculos”, diz Renato.
Neves adverte ainda que, além de fazer uso de bons óculos de sol em quaisquer circunstâncias, é importante lavar os olhos com bastante água durante o dia e pingar algumas gotas de lágrima artificial para limpar o globo ocular e prevenir doenças. “Esse hábito é especialmente recomendado para quem passa muitas horas diante do computador ou dos livros, e também para quem mora em cidades com alto índice de poluição”, explica.
O especialista revela que na hora de optar por um modelo é essencial que se esteja atento à cobertura dos olhos proporcionada pelo óculos, à qualidade da lente e à sua cor. “Aproveite que a moda está sugerindo as lentes grandes e arredondadas, que proporcionam maior cobertura à área dos olhos. Quanto à cor das lentes, as verdes e castanhas são opções mais acertadas em relação a contraste e profundidade. Evite as pretas e coloridas. A não ser à noite, quando as lentes amarelas melhoram a visão dos motoristas — aconselha.
Para o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, perito em medicina do trânsito e membro da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) dirigir contra o sol, sem proteger os olhos, é uma causa frequente de acidentes porque diminui a visibilidade. “A claridade do verão acentua o problema que é mais intenso em quem tem fotofobia, ou seja, quem sofre com a aversão à luz”, afirma, ressaltando que em algumas pessoas a alteração não indica doenças.
Em outras, no entanto, ela pode estar relacionada ao astigmatismo, irregularidade da superfície da córnea que torna as imagens desfocadas, inflamações nas porções posteriores dos olhos ou a medicamentos que aumentam a sensibilidade à luz. “Independente da causa o único remédio é usar óculos escuros ou optar por lentes fotossensíveis que filtram a radiação, escurecem e clareiam conforme a luminosidade.

A cor da lente identifica os benefícios que ela traz aos seus olhos:

Lente cinza: É a mais adequada para quem tem astigmatismo porque reduz o brilho e não distorce as cores.

Lente âmbar ou marrom: Ela melhora o conforto de míopes e hipermétropes por aumentar a visão de contraste, além de filtrar a luz azul que também está relacionada ao desenvolvimento da catarata. Boa para dias claros, pois realçam contrastes e detalhes.

Lente verde: É ideal para maiores de 60 anos por oferecer a melhor visão de contraste que diminui com a idade. Também filtra um pouco da luz azul.

Lente verde-escuro: Muito adotado por militares, permite uma boa percepção de cores e um contraste adequado em ambientes com pouca iluminação.

Lente Laranja ou Amarela: Reduz o ofuscamento da visão do motorista no entardecer e filtra a luz azul, mas diminui a visão de contraste em horários de muita luminosidade. São ideais para usar de manhã, no fim do dia ou quando chove

Lente fotossensível: Indicada para quem precisa usar lente corretiva, protege da radiação durante o dia e pode ser usada à noite.

Lente vermelha ou rosa:  Tem caráter mais estético e podem ser usadas em momentos diversos.

Fonte: Ler Saúde


voltar

NEWSLETTER

IOA OFTALMOLOGIA - ITAIM - SP RUA JOAQUIM FLORIANO, 101 . 10º ANDAR . ITAIM BIBI
CEP 04534-010 . SÃO PAULO . SP . (11) 3071-2000

COMO CHEGAR

IOA Oftalmologia no facebook IOA Oftalmologia no Google +

© 2014 . IOA - INSTITUTO DE OFTALMOLOGIA APLICADA